PSICOTERAPIA DO ADOLESCENTE

(Presencial e online)

Nesta etapa de vida desafiante, a psicoterapia é essencial, mesmo que sem um problema identificado, para que o adolescente se sinta seguro e confiante nas suas tomadas de decisão e construção psicossocial.

Na consulta de Psicologia com adolescentes, estes são acolhidos de forma a sentirem que têm dons e desafios únicos e, que apesar de estarem a enfrentar um desafio difícil, é possível identificar e desenvolver os seus pontos fortes, ao mesmo tempo que se pensam em estratégias de superação e sucesso. A consulta promove estratégias e orientação para novas competências que permitem ao jovem a resolução dos seus problemas.

A orientação e aconselhamento neutro e singular, bem como o clima de empatia e confiança, promove o caminho para uma terapia intimista e profissional.

Nesta consulta é também possível que os pais, ou pessoas próximas, sejam envolvidos no processo pois, poderão fazer parte da dinâmica do problema ou até, mais tarde, cimentar resultados.

 

Pode contar com uma avaliação psicológica e emocional inicial para que o processo terapêutico seja singular e, respeitando a dinâmica do jovem e da família. 

Existem diversas dificuldades e situações que são motivo para procurar ajuda nesta fase:

 

•    Baixa autoestima e dificuldades nos relacionamentos

​•    Pensamento autodestrutivos e desvalorização

•    Falta de motivação e satisfação geral com a vida

•    Procura de sentido ou caminho académico - Entrevista motivacional

•    Dificuldade em adaptar-se a novas fases do ciclo escolar ou familiar

•    Insónia e Problemas de Sono
•    Problemas do comportamento alimentar

•    Ansiedade de separação (maturidade e autonomia comprometidas) 
•    Dificuldades de atenção e concentração
•    Depressão/ isolamento Social
•    Ansiedade/ angústia
•    Medos e fobias
•    Trauma
•    Tiques
•    Processos de divórcios ou, dinâmicas familiares problemáticas
 

Jovens em mudança de ciclo escolar e académico

É ainda de realçar que, a perspetiva mudança para um novo ciclo de ensino e, o ingresso no ensino superior são dos momentos mais desafiadores na vida de um jovem. Socialmente, o adolescente enfrenta inúmeros desafios ao deixar estruturas relativamente familiares e de proteção do ensino básico para outros níveis superiores.

 

No ensino secundário podem surgir problemas para fazer novos amigos, bem como a pressão social que alunos mais velhos exercem sobre eles. A aceitação dos colegas é crítica nesta idade e, é neste período que os adolescentes muitas vezes enfrentam a avaliação de risco e pressão dos colegas para comportamentos mais arriscados. 

Uma vez que tenho uma longa experiência com jovens e, com as suas famílias, a comunicação é muito facilitada para que todos se sintam bem recebidos e compreendidos na sua singularidade.

Já a entrada para o ensino superior, exige um processo de autonomia e de responsabilidades acrescidas que pode ser impactante quer a nível individual quer a nível relacional. 

Estas passagens de ciclos de vida, individual e familiar, que vão exigindo novas capacidades e ferramentas internas, são naturalmente dolorosas pois exigem o deixar para  trás (o luto) daquilo que vamos perdendo. Esta evolução é tanto mais fácil quanto mais saudável for a estrutura familiar ou, caso seja necessário, com a ajuda dum profissional.